11821521_866289430125958_1754005383_o

(Resenha) O Temor do Sábio – Patrick Rothfuss

 

Sinopse: Quando é aconselhado a abandonar seus estudos na Universidade por um período, por causa de sua rivalidade com um membro da nobreza local, Kvothe é obrigado a tentar a vida em outras paragens.
Em busca de um patrocinador para sua música, viaja mais de mil quilômetros até Vintas. Lá, é rapidamente envolvido na política da corte. Enquanto tenta cair nas graças de um nobre poderoso, Kvothe usa sua habilidade de arcanista para impedir que ele seja envenenado e lidera um grupo de mercenários pela floresta, a fim de combater um bando de ladrões perigosos.
Ao longo do caminho, tem um encontro fantástico com Feluriana, uma criatura encantada à qual nenhum homem jamais pôde resistir ou sobreviver – até agora. Kvothe também conhece um guerreiro ademriano que o leva a sua terra, um lugar de costumes muito diferentes, onde vai aprender a lutar como poucos.
Enquanto persiste em sua busca de respostas sobre o Chandriano, o grupo de criaturas demoníacas responsável pela morte de seus pais, Kvothe percebe como a vida pode ser difícil quando um homem se torna uma lenda de seu próprio tempo.

9788580410327

Título: O Temor do Sábio
Série: A Crônica do Matador do Rei: Segundo Dia
Autor: Patrick Rothfuss
Editora: Arqueiro
Número de Páginas: 960

Resenha

– Isso não soa nada suspeito. E você ainda se pergunta por que as pessoas falam a seu respeito.

– Não me pergunto por que elas falam. Eu me pergunto o que dizem.

6

Em O Temor do Sábio nós entramos no segundo dia da narrativa de Kvothe sobre a sua verdadeira história. Continuamos a descobrir o que é a verdade sobre tantas estórias que existem sobre suas aventuras.

E nesse segundo dia nós voltamos para a Universidade, onde Kvothe segue com os seus estudos e ao mesmo tempo lidando com sua falta de dinheiro e sua guerra pessoal contra o Ambrose. Guerra essa que por sinal está se acirrando a cada vez mais. Chegando a extremos que Kvothe não havia imaginado.

– Como já foi útil esta aula! – comentou Kvothe, secamente. – Você deduziu uma verdade universal: as coisas geralmente são injustas.

E é devida a uma das muitas dessas batalhas que Kvothe se vê sugestionado a dar um tempo na Universidade, tirar um período sabático. A ir atrás do vento. Sem ter outra alternativaa, Kvothe segue a tal sugestão. Por sorte ao mesmo tempo surge uma oportunidade única para ele. O Maer Alveron de Vintas está precisando da ajuda de um jovem e talvez, se Kvothe souber aproveitar a oportunidade, ele consiga finalmente um mecenas. Um mecenas extremamente poderoso, cujo poder se compara ao do rei e a riqueza o supera.

– Isso é algo que todos têm que descobrir sozinhos – disse Denna, cuja voz foi ficando mais distante. – O que você deseja mais do que qualquer outra coisa? O que você quer tanto, que se dispõe a pagar qualquer coisa para conseguir?

4

E ao serviço do maer, Kvothe acaba se metendo em situações ainda mais perigosas e fantásticas. E sua reputação começa a atingir níveis inimagináveis, ele começa a se tornar uma verdadeira lenda viva. E é claro que ele está dando uma ajudinha na hora de espalhar as estórias mais absurdas e algumas até mesmo verdadeiras. Além disso, ele continua em sua busca pelo Chandriano, tentando por sua vez descobrir a história verdadeira em meio a lenda, irônico, não? E talvez o maer possa lhe ajudar nesse aspecto, mas para isso ele precisará usar toda a sua lábia para conseguir as informações que tanto deseja.

É como dizia Teccam: não há nada mais difícil no mundo do que convencer alguém de uma verdade desconhecida.

E no meio de lutas contra ladrões, criaturas encantadas e de seus aprendizados, Kvothe ainda tem de lidar com o maior de todos os seus problemas: Denna. A cada dia que passa ele fica mais seguro que não consegue entendê-la. Mas acima de tudo ele está extremamente preocupado com esse mecenas misterioso dela, ele tem certeza que ele é perigoso e queria que elas se mantivesse bem longe dele. Mas como ele poderia exigir qualquer coisa dela? E ainda por cima, ele ainda tem de descobrir o nome do vento….

– Por mais atraentes que sejam algumas coisas, é preciso ponderar os riscos. A que ponto o sujeito quer aquilo, a que ponto está disposto a se queimar?

3

E enquanto vemos a história tomando os contornos conhecidos e narrados por todos, ficamos nos perguntando o que diabos aconteceu com o Kvothe. O que aconteceu com ele para que nesse momento ele esteja naquela hospedaria narrando a história para o Cronista?

As histórias não precisam ser novas para trazer alegria. Algumas são como velhos amigos. Em outras a gente pode confiar como confia no pão.

Esse livro foi lindamente narrado. Mais uma vez ele nos prende do início ao fim. Você sem fica sedento por mais, para saber cada vez mais da história do Kvothe e ao mesmo tempo esperando ver o velho Kvothe no hospedeiro simpático (acho que entendo bem o Bast). Por mais clichê que pareça, o livro narra a história do homem por trás da lenda. E acaba que a história verdadeira é muito mais emocionante do que qualquer lenda. Mais uma vez 5 estrelas e favorito.

O trabalho gráfico desse livro é mais uma vez impecável. Alegre-se leitor, pois as 960 páginas são totalmente aproveitadas. Nada de espaços em branco para te fazer pensar que o livro é maior. Tem estória até o final da última página, graças a Deus. A única notícia ruim é que o livro 3 ainda não saiu (todos se desesperam). Mas enquanto isso, para diminuir o nosso sofrimento, foi lançado um livro, como se fosse um conto, sobre a Auri. o livro chama-se A Música do Silêncio e foi lançado agora em janeiro de 2015 pela editora Arqueiro. E como sempre a capa é de morrer de tão linda!

5

Então divirta-se com mais essa fantasia épica e se junte a mim, e tantos outros, na espera do volume 3! Boa leitura!

– faço isso para que não deixes de escutar. o homem sábio teme as noites sem luar.

Classificação

ESTRELA-FAV

 

 

photo

Sobre o autor

Patrick Rothfuss reside atualmente na região central do Wisconsin, onde leciona na universidade local. Em suas horas de folga, escreve uma coluna satírica, pratica a desobediência civil e se dedica por diletantismo à alquimia. Adora as palavras, ri com frequência e se recusa a dançar. O nome do vento, ganhador do Quill Award (importante prêmio literário americano, cujos vencedores são escolhidos pelos leitores), é o primeiro romance do autor.

PS: As imagens não são de minha autoria (se eu desenhasse assim…), eu as encontrei no Google.

escrito por Patrícia Paiva

Patrícia Paiva

Viciada em livros (sério, ainda vou a falência de tanto comprar livros), animes, mangás, doramas, seriados e filmes. Amo animais, viajar, chocolate e nutella, odeio segundas.

21 comentários sobre “(Resenha) O Temor do Sábio – Patrick Rothfuss

  1. Carol Rocha says:
    avatar

    Oi! Uau! 960 páginas? Coragem! Eu até encararia um livro assim, principalmente por ser fantasia que é o meu gênero favorito, mas estou numa fase bem corrida e leio vários livros ao mesmo tempo, então acho que não conseguiria ler algo tão grande assim e me dedicar à leitura como devo… Mas sua resenha está ótima, amei as ilustrações também (quem me dera desenhar assim também kkkk) Beijos.

    http://www.eicarolleia.com.br

  2. Ainda Me Livro says:
    avatar

    Olá,
    Acredita que nunca vi a série? Mas acho que é porque não curto tanto o gênero, mas com certeza meus amigos devem conhecer! Não posso negar que ESSAS ILUSTRAÇÕES SÃO LINDAS! O que dizer essa capa? Simplesmente me apaixonei

  3. Olívia Sousa says:
    avatar

    Olá

    Eu conheço essa série de ouvi falar,mas essa por exemplo é a primeira resenha que leio,gostei da resenha, mesmo você citando que são 900 páginas bem aproveitadas,nunca li um livro desse tamanho,mas vou anotar a dica,afinal tudo tem sua primeira vez.

  4. Ana Paula Lima Miranda says:
    avatar

    Oiii!

    Eu não conhecia essa obra e nossa 980 páginas :O Quanta coisa *-* Eu não sou a maior fã de fantasia mas sei que esses livros são sempre muito detalhados; Fico imaginando de onde sai toda a inspiração para compor a obra.
    Fico feliz que a obra seja bem escrita!

    Beijinhos

  5. João Victor says:
    avatar

    Oi, Patrícia
    Eu evitei ler alguns trechos da resenha por medo de pegar algum spoiler kkk
    Mas, essa trilogia é tão elogiada tanto aqui quanto lá fora que é impossível não ficar com vontade de lê-la. Mas, confesso que o tamanho dos livros me desencorajam um pouco. Eu já tive, inclusive, o O Nome do Vento, mas acabei trocando no Skoob. Talvez um dia eu deixe de bobeira e vá conhecer essa fantasia, que parece mesmo ser de 1ª qualidade.
    P.S. Essas ilustrações são tão lindas.

    Beijo,
    João Victor – De cabeça para baixo | All pop stuff

  6. João Victor says:
    avatar

    Oi, Patrícia
    Eu evitei ler alguns trechos da resenha por medo de pegar algum spoiler kkk
    Mas, essa trilogia é tão elogiada tanto aqui quanto lá fora que é impossível não ficar com vontade de lê-la. Mas, confesso que o tamanho dos livros me desencorajam um pouco. Eu já tive, inclusive, o O Nome do Vento, mas acabei trocando no Skoob. Talvez um dia eu deixe de bobeira e vá conhecer essa fantasia, que parece mesmo ser de 1ª qualidade.
    P.S. Essas ilustrações são lindas.

    Beijo,
    João Victor – De cabeça para baixo | All pop stuff

  7. Kamila Villarreal says:
    avatar

    Olá!

    900 páginas sem enrolar???????? Ele tá de parabéns! Eu não leria não pelas páginas, mas pela premissa mesmo, não curto fantasia, mas para os fãs do gênero, é um prato cheio, dá pra se entreter por dias!

    resenhaeoutrascoisas.blogspot.com

  8. Lívia castro says:
    avatar

    Parece ser uma história muito boa, pena que saí um pouco da literatura fantástica, mas confesso que me cocei de curiosidade com esse livro, mas essas 960 páginas me assustou, principalmente porque tô em fase de escrever tcc kkkkk
    Dica anotada pra um outro momento de leitura. 😉

    beijos.

  9. augusto guh pedagogo says:
    avatar

    No inicio assustei-me com a palavra “Universidade”, mesmo não sendo uma palavra exclusiva do tempo contemporâneo, ainda assim me causou certo incomodo. Por um instante parei, olhei bem pra capa do livro antes de retornar a leitura. Segui, os diversos elementos mágicos e as criaturas dentro da história me agradam muito/ as ilustrações também. É meu tipo de literatura sem dúvidas. Só me dá uma luz, se poder, sobre essa Universidade. O termo é esse mesmo, ou sei lá, poderia ter ficado assim na tradução para o português?

  10. Camila says:
    avatar

    Quando vi o título do livro pensei se tratar de auto ajuda, mas estava bem.enganada hein?! Achei a premissa incrível e fiquei bem curiosa quanto ao livro. Amo fantasia. E a capa está linda também
    Bj
    camila Bernardini Coelho

  11. Davidson says:
    avatar

    OMG! Que história massa, confesso que esses livros sempre me chamaram a atenção pelas capas que são lindas e pelas premissas, que são ótimas. Mas o tamanho deles me desanima um pouco kkkkk. Ótima resenha.

  12. Cia do Leitor says:
    avatar

    Eu já disse que comecei a ler essa série de trás pra frente? rsrsrs
    Pois bem, fiz isso. Eu fiz isso, iniciei a leitura de O temor do Sábio, pra só assim me tocar que precisava ler “O nome do vento” pra poder entender algumas passagens. Então, parei e comprei o primeiro livro pra ler , só que isso nunca aconteceu. (vergonha).
    Enfim, um dia me aventurarei nessa série que em breve terá sua continuação.

    Bjoca
    Ni

Deixe um comentário