capa-as-vantagens-de-ser-invisivel

(RESENHA) AS VANTAGENS DE SER INVISÍVEL – STEPHEN CHBOSKY

Sinopse: “Ao mesmo tempo engraçado e atordoante, As vantagens de ser invisível reúne as cartas de Charlie, um adolescente de quem pouco se sabe – a não ser pelo que ele conta nessas correspondências -, que vive entre a apatia e o entusiasmo, tateando territórios inexplorados, encurralado entre o desejo de viver a própria vida e ao mesmo tempo fugir dela.

As dificuldades do ambiente escolar, muitas vezes ameaçador, as descobertas dos primeiros encontros amorosos, os dramas familiares, as festas alucinantes e a eterna vontade de se sentir “infinito” ao lado dos amigos são temas que enchem de alegria e angústia a cabeça do protagonista em fase de amadurecimento. Stephen Chbosky capta com emoção esse vaivém dos sentidos e dos sentimentos e constrói uma narrativa vigorosa costurada pelas cartas de Charlie endereçadas a um amigo que não se sabe se real ou imaginário.Íntimas, hilariantes, às vezes devastadoras, as cartas mostram um jovem em confronto com a sua própria história presente e futura, ora como um personagem invisível à espreita por trás das cortinas, ora como o protagonista que tem que assumir seu papel no palco da vida. Um jovem que não se sabe quem é ou onde mora. Mas que poderia ser qualquer um, em qualquer lugar do mundo.”


Título: As Vantagens de Ser Invisível filme-as-vantagens
Autor: Stephen Chbosky
Editora: Rocco – Jovens Leitores
Páginas: 223

Resenha: As Vantagens de Ser Invisível é um estilo de livro juvenil, mas que aborda assuntos um tanto quanto sérios demais.

O livro é totalmente singelo e tocante.

Em todas as crises de choro e a agonia vivida por Charlie, faz com que nos transportemos para dentro de seus problemas. Que apesar de parecerem pequenos, são maiores do que se imagina.

Muitas frases cheias de significados são ditas por esse adolescente que parece bem mais velho do que realmente é. Coisas simples, mas que mexem com a gente durante a leitura.

Um dos trechos que eu li e realmente me tocou foi este:

“Quando estava indo pra casa, só conseguia pensar na palavra “especial”. E pensei que a última pessoa que me disse isso foi a tia Helen. Foi muito bom ter ouvido isso novamente. Porque acho que todos nós esquecemos às vezes. E eu acho que todo mundo é especial à sua própria maneira. É o que eu penso.”

Porque se pararmos para pensar, quantas vezes você fala para as pessoas que são importantes em sua vida o quanto elas são especiais? O quanto usamos a palavra especial afinal? Foi isso que me emocionou, porque é uma palavra tão simples, mas que ilumina qualquer pessoa que a ouve.

Agora, se eu pudesse definir esse livro com uma única frase, esta seria:

“Me sinto infinito”.

Porque com Charlie eu entendi o que isso significa.

Se sentir infinito é se sentir no máximo da vida, em um momento onde tudo é possível, mesmo que nada demais tenha acontecido. É se sentir pleno e perfeito ao mesmo tempo, mesmo que seja por, apenas, um instante.

A história do livro transcorre durante a década de 90, mas poderia ser contada em qualquer época, pois os dramas e as reflexões são completamente atemporais.


Sobre o autor

stephen-chbosky_a126603_jpg_640x480_upscale_q90Stephen Chbosky nasceu no dia 25 de janeiro de 1970 na cidade de Pittsburgh. É um escritor, roteirista e diretor de cinema norte-americano que ficou conhecido pelo livroThe Perks of Being a Wallflowe” (“As Vantagens de Ser Invisível”) de 1999. Ele também escreveu o roteiro do filme Rent de 2005 e foi co-criador, produtor executivo e roteirista da série de TV da CBS Jericho, que foi ao ar em 2006.

Bom, eu gostei muito do livro e espero que vocês gostem também.  =D        Até a próxima Delirantes! 😉

.

escrito por Priscilla Paiva

Priscilla Paiva

Publicitária, blogueira, cinéfila, viciada em livros, séries e doramas. Amante de tempo frio, chuva, música, chocolate e animais.

17 comentários sobre “(RESENHA) AS VANTAGENS DE SER INVISÍVEL – STEPHEN CHBOSKY

  1. diana canaverde says:
    avatar

    Olá… parece que o livro é mesmo cheio de significados, gostei muito do enredo apresentado e as dificuldades que o protagonista passa, mas que parece superar e garante mais experiência de vida… eu fiquei pensativa quando você disse que ele parece ser mais velho, as vezes a vida que levamos realmente nos torna pessoas assim sábia nas palavras e isso transpõe ao próximo um ar mais velho do que é… Xero!!

  2. Fernanda Goulart says:
    avatar

    Eu assisti esse filme na escola e juro que preferia nunca ter chegado perto. Achei bem fraquinha a história e isso me fez não ter interesse pela obra. Mas esqueci-me que muitas vezes os livros são melhores que os filmes e sua resenha me deixou muito curiosa para conhecer essa trama mais a fundo!

  3. Tayana says:
    avatar

    Olá, aqui é a Tay do Let It Shine.
    Eu não li este livro, vi apenas o filme, gostei bastante, e soube desde a primeira cena na qual a tia Helen é citada eu soube dos problemas que a envolviam. O que eu mais gosto nessa história toda, é o fato dela ser dos anos 90, não ter aquela loucura dos pais de ligar o tempo todo Pq celular, nem é citado, não tinha essa questão de WhatsApp… E bem se pudesse definir o filme em uma frase seria “stop crying, stop crying”.
    E eu não vou nem falar daquela namorada doida que ele arruma… Hahaha

Deixe um comentário